Controle de Processos

Usuário
Senha

Notícias

Missão internacional acompanhará eleição suplementar em Petrolândia (SC) neste domingo (13)

A Missão das Organizações Não Governamentais (ONGs) Transparencia Electoral e Conferencia Americana de Organismos Electorales Subnacionales por la Transparencia Electoral (Caoeste) está pronta para acompanhar a eleição suplementar no município de Petrolândia (SC) neste domingo (13). Os observadores já estão colhendo informações e assistindo aos preparativos para o pleito. Os dados colhidos durante a missão de observação servirão para elaborar projetos de estudos voltados para especialistas em questões eleitorais, autoridades, pesquisadores e entidades de vários países. O objetivo é favorecer a legitimidade do processo, garantindo os direitos políticos de cidadãs e cidadãos em eleições transparentes e justas. Em sua primeira atuação como observadora no Brasil, a mexicana Claudia Isela Guzman Gonzalez ressalta que atestar e disseminar boas práticas de segurança, transparência e integridade são essenciais para a democratização das eleições na América Latina. “São experiências fundamentais para os futuros processos eleitorais da região, em todos os níveis”, afirma. Para a observadora e coordenadora da Caoeste no Brasil, Paula Gomes Moreira, a oportunidade de contribuir para a melhoria dos processos eleitorais latino-americanos é uma tarefa gratificante. “Observamos todo o processo e procuramos identificar aspectos que podem ser aperfeiçoados para os próximos pleitos”, diz. Ela enfatiza que o relatório final emitido pela missão até 30 dias após a eleição segue padrões internacionais que abrangem todo o ciclo eleitoral. O observador Nicolás Noyola, de El Salvador, não esconde a expectativa do grupo diante da importante missão de analisar e legitimar o processo eleitoral. “A qualidade da democracia é uma condição importante para o desenvolvimento dos países da região e da América Latina. Daí a importância da observação eleitoral”, destaca. Integridade A missão também acompanhará de perto a auditoria de integridade da urna eletrônica, evento paralelo à eleição suplementar para prefeito e vice-prefeito de Petrolândia. O teste de integridade é um procedimento utilizado pela Justiça Eleitoral desde 2002, com o objetivo de testar a segurança na captação e contagem dos votos pela urna eletrônica, comprovando que o voto recebido/digitado é exatamente aquele que será contabilizado. “O teste de integridade é apenas mais um dos muitos elementos de segurança que fazem com que a urna eletrônica seja absolutamente confiável”, frisa o presidente da Caoeste, Marcelo Ramos Peregrino Ferreira. Para ele, a segurança da eleição brasileira é inquestionável, uma vez que conta com o sistema mais avançado do mundo. Marcelo Peregrino revela que os integrantes da missão estão animados em participar do processo eleitoral brasileiro e oferecer eventuais contribuições. Ele reforça que a urna eletrônica terá atenção especial dos observadores, por se tratar de “um enorme avanço da Justiça Eleitoral brasileira, que é copiado em todo o mundo”. MC/LC, DM Tags: #Tribunal Regional Eleitoral #Eleição suplementar #Urna eletrônica #Auditoria #Tribunal Superior Eleitoral Gestor responsável: Assessoria de Comunicação Últimas notícias postadas Recentes Clica e Confirma: na Câmara dos Deputados, Barroso fala sobre riscos do voto impresso Presidente do TSE participou de debate em comissão que discute o tema TSE oferece acesso a acervo documental de eleições anteriores Por meio de solicitação prévia, a cidadã ou o cidadão pode ter acesso a informações sobre resultados, candidaturas e demais documentos relacionados ao processo eleitoral Cinco municípios elegem novos prefeitos neste domingo (13) Eleições suplementares foram convocadas pela Justiça Eleitoral após o afastamento definitivo dos titulares dos cargos
11/06/2021 (00:00)
Visitas no site:  818749
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia